Lembrando Mario Quintana

image_pdfimage_print
Post (0024)
O poeta Mario Quintana residiu no antigo Hotel Magestic na Rua dos Andradas em Porto Alegre por muitos anos, até que este fechou e ele teve de mudar-se para outro hotel. Na época um repórter que acompanhava a mudança perguntou-lhe:
– Mario, depois de tantos anos tu não vais estranhar a nova casa?
– Para mim qualquer lugar é bom, pois aonde vou eu me levo junto, respondeu o poeta.
A propósito disto aqui transcrevo uma pequena lenda oriental.
Conta que um viajante chegando a um povoado, perguntou a um velho que se encontrava na entrada:
– Que tipo de pessoas vive neste lugar? – E como resposta ouviu:
– Que tipo de pessoas vive no lugar de onde tu vens?
– Oh! Um bando de falsos e egoístas, respondeu o viajante.
A isso, o velho retrucou:
– O mesmo tipo de gente tu encontrarás aqui.
No mesmo dia, outro viajante ao chegar formulou a mesma pergunta:
– Que tipo de pessoas vive neste lugar? – E como resposta ouviu:
– Que tipo de pessoas vive no lugar de onde tu vens?
– Pessoas amigas e hospitaleiras, disse o viajante.
O velho retrucou da mesma forma que anteriormente:
– O mesmo tipo de gente tu encontrarás aqui.
Alguém que havia escutado as duas conversas, não se contendo e perguntou:
– Como é possível dar respostas diferentes a mesma pergunta?
– É simples sorriu o velho sábio:
– Cada um carrega consigo e em seu coração o meio em que vive.
Autor desconhecido – NG Canela – Julho 2009

Sobre Norberto Geraldi

Residente em Canela / RS / Brasil - Aniversário 16 julho - Brasileiro - Casado
Esta entrada foi publicada em -Ler, M.Quintana, N.Geraldi e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *