image_pdfimage_print

Prece da Experiência – Bem humorada

– Ó Senhor, tu sabes melhor do que eu que estou envelhecendo a cada dia;
– Sendo assim, Senhor, livra-me da tolice de achar que devo dizer algo, em toda e qualquer ocasião.

– Livra-me, também deste desejo enorme que tenho de querer pôr em ordem a vida dos 11outros.

– Ensina-me a pensar nos outros e ajudá-los, sem jamais me impor sobre eles, mesmo considerando, com modéstia, a sabedoria que acumulei e que penso ser uma lástima não passar adiante. (Esta é ótima, não?)

– Tu sabes Senhor, que desejo preservar alguns amigos e uma boa relação com os filhos, e que só se preserva os amigos e os filhos… Quando não há intromissão na vida deles…

– Livra-me, também, Senhor, da tolice de querer contar tudo com detalhes e minúcias e dá-me asas no assunto para voar diretamente ao ponto que interessa.

– Não me permita falar mal de ninguém;
– Ensina-me a fazer silêncio sobre minhas dores e doenças;
– Elas estão aumentando e, com isso, a vontade de descrevê-las vai crescendo a cada dia que passa.

– Não ouso pedir o dom de ouvir com alegria a descrição das doenças alheias… Seria pedir demais;
– Mas, ensina-me, Senhor, a suportar ouvi-las com alguma paciência.

– Ensina-me a maravilhosa sabedoria de saber que posso estar errado em algumas ocasiões;
– Já descobri que pessoas que acertam sempre são maçantes e desagradáveis.

– Mas, sobretudo, Senhor, nesta prece de envelhecimento, peço: Mantenha-me o mais amável possível.

– Livrai-me de ser santo, é difícil conviver com santos;
– Mas um velho ou uma velha rabugentos, Senhor, ninguém merece!  Me poupe!
– Amém!

Aqui entre nós, esta prece é bastante boa, (comentou um amigo e colaborador)…
– O que nos leva a pensar naqueles que de uma forma ou outra precisam dos nossos modestos conhecimentos… Os quais relutamos em compartilhar….Brincadeirinha… Só para permanecer no espírito da prece….

Post (298) – Janeiro de 2017

Trabalho em equipe

“Foi realizada uma competição entre a equipe de remo do Japão e a equipe de remo brasileira, com o intuito de treinar nossos remadores para os jogos olímpicos do Rio de Janeiro / 2016.”

A competição se inicia, mas o resultado não é favorável para a equipe brasileira. Ela chegou com uma hora de atraso em relação aos japoneses. Indignados, os brasileiros fizeram várias reuniões para averiguar a causa da derrota. Assim ficou a comparação das equipes:

Japão: 1 Chefe de Equipe e 10 Remadores12
Brasil: 10 Chefes de Equipe e 1 Remador

Descoberto o grande erro, a equipe brasileira foi remodelada para a próxima competição. Porém, perderam novamente e, dessa vez, o atraso foi de 2 horas. Mais uma vez foram convocadas reuniões e viagens para o estudo das causas. Segue o resumo:

Japão: 1 Chefe de Equipe e  10 Remadores, manteve a mesma equipe.
Brasil: 1 Chefe de Equipe, 3 Chefes de Departamento, 6 Auxiliares de Chefia e 1 Remador.

Outra vez o erro foi identificado e uma nova equipe foi montada.Tudo foi levado em conta: resizing, downsizing, GQT e ainda economistas opinando, conceitos de modernidade e globalização passaram a ser considerados. Porém, na hora da competição, o Brasil chegou com 3 horas de atraso. Mais reuniões, encontros, etc. Foi feito outro levantamento:

Japão: 1 Chefe de Equipe e  10 Remadores, manteve a mesma equipe
Brasil: 1 Chefe de Equipe, 3 Chefes de Departamento, 2 Analistas de O&M, 2 Controllers, 1 Auditor Independente, 1 Gerente de Qualidade Total e 1 Remador

Depois de muitos argumentos e discussões, os diretores da equipe esportiva chegaram às seguintes conclusões definitivas:
1 – O problema era, claro e evidente, a incapacidade do remador, que, com certeza, por culpa de influência do Sindicato e por causa de sua falta de treinamento generalista não era capaz de exercer sua atividade com eficiência.
2 – A solução encontrada foi a de privatizar ou terceirizar e/ou contratar um remador que não fosse vinculado ao clube…

“Com certeza é piada, porém infelizmente retrata com fidelidade a administração pública do nosso país.”

Post (283) – Julho de 2016