Os ratos e o guizo

image_pdfimage_print

O GuinzoPost (181)

Esta fábula é do tempo que os ratos falavam, há muito tempo atrás.
Certa feita os ratos se reuniram em um conselho para decidir a maneira de se virem livres de um gato que andava permanentemente a caça deles. O gato era muito experto, deslocava-se furtivamente, sem fazer barulho, e, quando atacava era mais rápido e mortífero do que um relâmpago.
Vários ratos expuseram as suas idéias, e a reunião prolongou-se pela noite a fora.
Nenhum dos planos sugeridos parecia aceitável, até que um rato muito novo pediu a palavra.
– Proponho – disse ele – que se pendure um guizo no pescoço do gato. E, assim cada vez que ele se mexer, o guizo toca e nos avisa do perigo, e ao ouvir o som teremos tempo de fugir.
Os outros ratos acharam que era uma ótima ideia e aplaudiram com entusiasmo. Então o Velho Rato que tinha ficado calado durante todo o tempo, levantou-se e disse com gravidade:
– É uma excelente proposta, e tenho a certeza de que vai dar resultado. Mas posso perguntar uma coisa.
– Sim, faça a pergunta, responderam em uma só voz vários ratos.
– Quem de vocês – disse o Velho Rato – vai pendurar o guizo no pescoço do gato?
Os ratos começaram a olhar uns para os outros, e não houve nenhum que se oferecesse para levar a cabo semelhante tarefa. Então o Rato Velho, concluiu dizendo:

– “É mais fácil ter ideias do que realiza-las”.

Fábula de La Fontaine – NG Canela – Dezembro de 2013

Sobre Norberto Geraldi

Residente em Canela / RS / Brasil - Aniversário 16 julho - Brasileiro - Casado
Esta entrada foi publicada em -Fábulas, -Lições, J.DeLaFontaine e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.