Coisas do tio Boris

image_pdfimage_print

Post (0056)

– Depois de muito batalhar e graças às novas leis da ex-União Soviética, o tio Boris (Judeu) conseguiu permissão para emigrar para Israel, como muitos outros camaradas russos.
– Porém, ele se queixava:
– Discriminavam-me, não queriam que eu saísse, me investigavam tempo todo… , e eu sou uma boa pessoa.
– Por fim, se deram conta e concordaram com a sua saída.
– No dia da partida, na alfândega, um oficial russo ao revistar as suas bagagens de repente, abre uma delas e pergunta:
Que é isto?
– Perdão – disse Boris – você deve perguntar: “- Quem é este?”. – Este é um busto do camarada Stalin, nosso querido ideólogo e grande dirigente do partido. E eu o levo para nunca me esquecer dele.
– É verdade – disse o guarda – ele pensava diferente dos judeus, porém o felicito… Passe!
– Tio Boris chega a Tel Aviv e quando é revistado na alfândega, o oficial israelense abre sua bagagem e lhe pergunta:
– Que é isto?
– Perdão – disse Boris – você deve perguntar: “Quem é este”’. – Este é o maldito ditador anti-semita Stalin por quem sofremos tantas desgraças e misérias. Trago este busto para não esquecer de seu rosto e ensinar aos jovens quem nos fez sofrer dia após dia!
– Bom, senhor, acalme-se – disse o guarda – Você já está aqui, em Israel, pode passar… – Passe, passe que sua família o espera!
– E tio Boris é recebido com grande alegria por seus irmãos, sobrinhos e toda a família. Vão todos ao kibutz, onde haviam preparado uma grande festa para recebê-lo. Quando chegaram a casa, lhe disse um sobrinho:
-Tio, venha ver primeiro os seus aposentos, deixar suas coisas e se refrescar.
– E logo o acompanham ao seu quarto e o ajudam com suas coisas.
– E, quando Boris abre a mala e coloca o busto sobre sua cama, o sobrinho pergunta:
Quem é esse?
-Desculpa, – disse Boris – deves perguntar: “Que é isso”’.– Isso, querido sobrinho, são cinco quilos de ouro puro.
Texto recebido de um velho amigo – NG Canela – Agosto 2010

Sobre Norberto Geraldi

Residente em Canela / RS / Brasil - Aniversário 16 julho - Brasileiro - Casado
Esta entrada foi publicada em -Crônica, -Histórias, -Piadas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *