A coisa !!

image_pdfimage_print
a coisaPost (0133)
É importante saber o nome das coisas. Ou pelo menos, saber comunicar o que você quer. Imagine-se tentando comprar um… Como é mesmo nome?
-Olá! Posso ajuda – lá de alguma forma?
-Sim! Com certeza! Acontece que eu gostaria de uma coisa… Um…Ora bolas! Não me recordo do nome da coisa… Entenda que me sinto muito constrangida nesta situação, mas é que preciso desesperadamente desta coisa!
-Sim, entendo, mas para que eu possa ajuda – lá preciso que descreva a coisa !
-Certo! Então preste atenção! É uma coisa tipo assim: Um pouco comprida, mas não muito! Meio redonda…
-Há mais alguma coisa sobre este, isto… Esta coisa, que possa se lembrar?
-Bom, sei também que no interior desta coisa há um tubinho menor onde você introduz outro e…
-COMO !?
-É, isso mesmo, você introduz outro tubinho dentro e coloca no… No… Está entendendo?
-Na medida do possível! Continue…
-O que estou querendo lhe dizer acho que o senhor não está entendendo.
-Estou me esforçando, mas…
-Mas não está sendo o suficiente!
-Esta bem, prossiga.
-Como eu ia dizendo… Onde eu estava mesmo? Ah, sim! Eu ia dizendo que você deve colocar a coisa no lugar que eu lhe disse…
-Acontece que a senhora não disse onde deve ser colocado a tal…
-ASSIM NÃO DÁ! Você quer faze o favor de não me interromper?
-Desculpe.
-Hunf… Você o coloca lá e ai enquanto você vai usando ele vai diminuído. Entendeu?
-Entendi.
-Então você compreendeu a urgência da situação!
-Sim, mas lamento informar que não trabalhamos com este tipo de… “Coisa”.
-Não!?
-Não. Talvez fosse mais adequado procurar uma farmácia, sabe? Ou… Algo parecido.
-Mas eu tenho certeza que… Ei! Espere ai! É daquilo que eu estou falando!
-Disto? Tem certeza? Um rolo de papel higiênico?
-Sim! Desculpe, mas não sou boa com descrições. Meio compridinho, mas não muito! Redondo e tem um tubinho de… de… papelão dentro! Daí, você passa um outro tubinho de plástico ou de outro material por dentro do outro tubo pra botar no… no… suporte no banheiro!
-Sim, mas é claro!
-Mas o senhor disse que não trabalhava com este tipo de coisa…
-Um pequeno equívoco senhora. Pensei que estivesse falando de outra coisa. Aqui está a sua compra, adeus, e volte sempre!

Texto de Carolina Geraldi, inspirado no texto de Luiz Fernando Veríssimo.

NG Canela – Julho de 2011. (0133)

Sobre Norberto Geraldi

Residente em Canela / RS / Brasil - Aniversário 16 julho - Brasileiro - Casado
Esta entrada foi publicada em -Crônica, C.Geraldi e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *